No último dia 03 de maio o Ministério da Educação (MEC) autorizou uma sindicância para apurar denúncias contra a FIP (Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros) (FIPMoc). Nesta terça-feira (06) foi publicado no Diário Oficial a decisão para suspensão do respectivo curso de medicina em Guanambi.

A suspeita de fraude na seleção de uma instituição privada para oferecer curso de Medicina na Bahia, por meio do Programa Mais Médicos, durante o governo de Dilma Rousseff. A decisão foi tomada pelo ministro Mendonça Filho, após o jornal O Estado de S. Paulo questionar a pasta sobre possível troca de pareceres na concorrência para Guanambi, a 800 quilômetros de Salvador.

A substituição, denunciada à reportagem por uma fonte que trabalha no MEC, teria alterado a classificação das participantes, beneficiando uma entidade do ex-ministro do Turismo Walfrido Mares Guia. A estimativa é de que, em pleno funcionamento, um curso desse renda ao menos R$ 26 milhões/ano.