Nesta sexta-feira (14) a Organização Não Governamental (ONG) Repórteres Sem Fronteiras divulgou dados sobre o índice de violência contra jornalistas em função de seu exercício profissional. No ranking o Brasil aparece como o quarto maior do mundo em casos de mortes de jornalistas.

Somente esse ano 45 jornalistas já foram mortos numa média alarmante. Em primeiro lugar está o México e seguido da Síria. Na América Latina o Brasil tem mais mortes de jornalistas que países como Colômbia, Venezuela, Argentina e Paraguai. O número de jornalistas presos no país também é muito grande, segundo a ONG são 145 ao todo.

Os riscos sofridos pelos jornalistas no país vão desde a morte até agressões físicas sofridas. Durante os protestos contra e a favor o afastamento de Dilma Rousseff mais de 50 jornalistas ficaram com ferimentos graves enquanto trabalhavam na cobertura.