Foto: Divulgação G1

Às 8:54 desta quarta-feira o deputado federal, Paulo Maluf (PP), se entregou à Polícia Federal. A medida é um cumprimento à decisão do ministro Edson Fachin, do Supermo Tribunal Federal, que determinou a prisão de Maluf em regime fechado. O deputado tentou recorrer à prisão, mas o STF entendeu que haveria apenas um adiamento para início da pena, que deve durar 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão, pena esta que foi imposta após a investigação por supostos desvios de obras públicas durante sua gestão na Prefeitura de São Paulo, entre 1993 e 1996, além de remessas ilegais ao exterior por meio de doleiros. O Supremo também determinou que o deputado do PP não deverá mais exercer o cargo, além de pagar uma multa por lavagem de dinheiro.

O ministro Fachin não aceitou o recurso apresentado pela defesa de Maluf em maio deste ano. Em outubro, a primeira Turma do STF também rejeitou, por 4 votos a 1, o recurso do deputado. Os ministros Edson Fachin (relator do caso), Luiz Fux, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso votaram por manter a condenação. Marco Aurélio Mello foi o único que votou à favor de Maluf.

 

Da Redação: Rafa Nunes

 

Por: Karenina Moss