Conhecido internacionalmente como preletor e líder eclesiástico o pastor Silas Malafaia da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo foi indiciado pela Polícia Federal nesta sexta-feira (24) após desdobramento da Operação Timóteo.

Quando a operação da PF foi desencadeada o referido pastor foi conduzido coercitivamente em 16 de dezembro para prestar esclarecimento sobre o recebimento de determinado valor que teria sido repassado pelo principal escritório investigado no esquema de corrupção em cobranças judiciais de royalties da exploração mineral. É chamado de Compensação Financeira pela Exploração de Recursos minerais o valor de 65% destinado aos municípios.

A Polícia Federal aponta em seu relatório que Silas Malafaia cooperava com o esquema ao emprestar contas para que repasses de dinheiro fossem feitas e, deste modo, lavar o dinheiro do esquema. Em sua defesa o pastor afirma que recebeu uma doação – chamada de oferta – no valor de R$ 100.000,00 (cem mil) de um dos envolvidos no esquema e que não tinha consciência que se tratava de dinheiro ilícito.