Caetano Veloso foi proibido de realizar um show na ocupação do Movimento dos Trabalhadores SemTeto (MTST), em São Bernardo do Campo (SP), na última segunda-feira, 30.

A decisão foi da Justiça de São Paulo, com a justificativa de que faltaria estrutura para suportar o espetáculo.

”É a primeira vez que sou impedido de cantar no período democrático”, falou para jornalistas após o evento. ”Mais do que nunca é preciso cantar, como diz a música de Vinicius de Moraes (Marcha de quarta-feira de cinzas)”, complementou o músico

”Eu vivi o período oficialmente não democrático, não é bom para mim ser impedido de cantar. Durante a ditadura era nitidamente uma ditadura. Agora formalmente é uma democracia. A gente tem que obedecer às leis do estado de direito”, disse.

A ação civil para proibir o show foi tomada pela juíza Ida Inês Del Cid, da 2ª Vara da Fazenda Pública de São Bernardo do Campo. Ela estabeleceu uma multa de R$ 500 mil caso a medida não fosse cumprida.

“Seu brilhantismo atrairá muitas pessoas para o local, o que certamente colocaria em risco estas mesmas, porque, como ressaltado, não há estrutura para shows, ainda mais, de artista tão querido pelo público, por interpretar canções lindíssimas, com voz inigualável”, afirmou a magistrada, no texto da decisão

Apesar de não ter realizado o show, Caetano esteve presente na ocupação. Emicida, Criolo, Sônia Braga, Aline Moraese Letícia Sabatela foram outros artistas presentes. A produtora e empresária Paula Lavigne afirmou que o show será realizado em outra data: ”Vamos ver o que precisamos fazer para o show ser remarcado, nem que o pessoal da ocupação vá para outro local para ver o show”.

foto reproduçao