No Brasil, nem metade da população adulta alcança o Ensino Médio. Apenas 58,5% dos jovens concluem a Educação Básica até os 19 anos de idade; e a maioria dos que conseguem concluir sai despreparada para o mercado de trabalho. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2016-2017, elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indicam que o País abriga cerca de 70 milhões de pessoas com mais de 18 anos sem o Ensino Médio completo.

Segundo o diretor-geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Rafael Lucchesi. a oferta de ensino médio articulado com a educação profissional no Brasil permitiria o desenvolvimento de competências pertinentes ao mundo do trabalho; além de criar mais interesse pelos alunos ao ensino.

“Em certa medida, a reforma do Ensino Médio é positiva nessa direção. Estabelece deveres positivos e, como somos uma democracia, e uma democracia inclusiva, e é importante o alcance integral do entendimento dessa palavra, temos no Brasil grande contingente da população adulta brasileira com baixa escolaridade, e tem que se dar atenção a esse contingente até porque é o contingente, sociologicamente falando, mais fragilizado.”

Em 2017, 811 mil pessoas recorreram à Educação de Jovens e Adultos (EJA) para finalizar o processo de escolarização. A proposta da indústria é avançar para um formato capaz de reter os alunos até sua formação básica integral e ampliar as opções de formação técnica e profissional.

A especialista em gestão escolar Juliana Diniz, lembra que os tempos mudaram e a educação precisa ser transformada para um novo modelo mais dinâmico e tecnológico.

“Vivemos um momento contemporâneo marcado por um dinamismo, uma volatilidade, um processo de mudança muito rápido, não só tecnologia, mas especialmente, onde a educação acaba não acompanhando na mesma velocidade. Quem é o sujeito que estamos formando na Educação Básica? Quando você pensa que esse sujeito, século 21, com todas essas características, sujeito curioso, crítico, com elevadíssimo número de informações, um nativo digital, que busca engajamento, e esse indivíduo está em qual contexto?”

A taxa de frequência escolar ao Ensino Médio das pessoas de 15 a 17 anos de idade foi de 73,5% entre as mulheres e 63,5%, entre os homens, segundo a Pnad. A Meta 3 do Plano Nacional de Educação estabelece que a taxa de frequência escolar líquida ao ensino médio seja de 85% até o final da vigência do Plano, em 2024.

 

Reportagem | Camila Costa

Da Redação | Rafa Nunes