O concorrente do PT ao Planalto, Fernando Haddad, afirmou nesta terça-feira (18) que não dará indulto a Lula, caso seja eleito. Segundo ele, o ex-presidente, preso desde abril, não quer sair da cadeia por meio de um decreto presidencial, mas por reconhecimento de “um erro do judiciário”.

Durante sabatina na rádio CBN, em parceria com o portal G1, Haddad alegou ainda que a prisão após condenação em segunda instância não deveria ser obrigatória. Questionado se colocaria Lula em algum ministério, o candidato disse que a pergunta era muito pequena para “um cara da estatura de Lula”.

Em cenário de segundo turno sem representantes do PT, Haddad alegou que apoiaria Ciro Gomes (PDT), assim como receberia o apoio do pedetista. Afirmou ainda que pertencem ao mesmo campo político contra o “obscurantismo” que envolve o país.

 

Reportagem | Clara Sasse

Da Redação | Rafa Nunes