Auditores da Receita Federal fizeram uma varredura nas contas de alguns investigados na Operação Lava Jato e, entre os investigados estão os baianos Mário Negromonte, ex-ministro das Cidades e Roberto Britto que é deputado federal. Ambos os investigados são do Partido Progressista e respondem por atos de infração que vão desde a variação patrimonial incompatível com os rendimentos até falta de comprovação na origem de depósitos e venda de gados.

O deputado federal Roberto Britto, inclusive, já possui processo em aberto que requer multa de R$ 55 mil justamente por falta de comprovação de origem de depósito e negociar bois sem declarar na Receita Federal. Numa reportagem da Revista Isto É diversos nomes são citados e o texto ainda afirma que até movimentações inferiores a R$ 1 mil estão sendo auditados.

A assessoria dos deputados não foram encontradas pelo Minuto Bahia para passarem a justificativa dos citados. Todavia, segundo a matéria publicada pelo Bocão News o advogado de Roberto Britto teria afirmado que todas as movimentações estão comprovadas nos estrados bancários.