Uma matéria do Estadão apontou para a dificuldade enfrentada pelos estados em pagar o 13º salário do funcionalismo público. O estado da Bahia ficou na lista como um dos estados sem a convicção de pagamento do benefício. Em nota o governo baiano afirmou que dependerá das negociações com o governo federal.

Atualmente um dos recursos dos governos é ir pagando o 13º na data de aniversário do servidor, desta forma, cria uma espécie de parcelamento e pouco a pouco vai fazendo o repasse. Todavia, diante da crise fiscal os estados acumulam déficits junto ao governo federal.

Uma das soluções seria um socorro emergencial de R$ 8 bilhões como uma espécie de financiamento, mas o presidente Michel Temer já afirmou que qualquer subsídio só seria possível através do programa de repatriação de recursos do exterior. Para esta semana a agenda do governador já inclui diálogos com o governo federal e enquanto isso a incerteza ronda a cabeça dos servidores.