Foto: Divulgação WhatsApp

Um homem desapareceu após sair de casa e atravessar uma barragem para chegar em uma fazenda na região rural de Guanambi, desde a última terça-feira (15) quando foi visto pela última vez, o Sr. Donvasso Pereira Fialho, 67 anos, residente na Faz. Quixaba, não mais retornou, os familiares e amigos além de voluntários, deram início no mesmo dia do desparecimento, uma intensa busca pelas redondezas e principalmente na Barragem do poço do Mago, onde a principal suspeita era de que o homem teria se afogado, um dos filhos do senhor Donvasso encontrou a canoa que era usada pelo idoso, estava emborcada sobre as águas da referida barragem, reforçando a hipótese do afogamento.

Até o fim da manhã desta quinta-feira (17), o idoso era dado como desparecido, porém depois de 48h de muita procura, agora com a ajuda do corpo de bombeiros lotado do 7º agrupamento de Vitória da Conquista, onde mergulhadores profissionais vieram com o objetivo de desvendar o mistério, o corpo do Sr. Donvasso foi encontrado numa profundidade mediana da referida Barragem, pelo tempo que ficou debaixo d’água, o corpo estava começando a inchar e em estágio inicial de decomposição.

Após ser retirado da agua, os peritos criminais removeram o corpo do Sr. Donvasso ao IML (Instituto Médico Legal) onde passou por exame de necropsia e em seguida liberado aos familiares para o sepultamento.

O corpo demorou para boiar?

De acordo com especialistas, quando há o afogamento completo de um Humano, sem nenhum ar nos pulmões, a pessoa afunda e somente volta a boiar, quando começa o processo de decomposição, provocando assim a produção de gases, o que faz com que o corpo emerja, esse tempo pode levar de 12h a 24h, o que seria o caso da vítima, pois segundo informações da Polícia, o corpo estava próximo as margens das águas, sendo encontrado pelos mergulhadores quase emerso.

Da Redação: Rafa Nunes