Foto: Divulgação Redes Sociais

A Justiça Federal em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, determinou que o Corinthians, o consórcio Arena Itaquera, o ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Hereda, e a construtora Odebrecht devolvam aos cofres públicos a quantia de 400 milhões de reais.

O valor é referente a um empréstimo realizado pelo grupo e usado na construção do estádio do Corinthians, a Arena Itaquera. No entanto, um advogado gaúcho entrou com ação na Justiça questionando a legalidade do empréstimo.
Para o advogado, o negócio lesou o patrimônio público por ter sido realizado sob forte influência política, fora do prazo previsto para a liberação dos recursos e sem exigências de garantias para a devolução do dinheiro emprestado pelo banco.

O valor total do empréstimo realizado pelo grupo junto à Caixa foi de 475 milhões de reais. O Corinthians defendeu a legalidade da transação e afirma que foram apresentadas todas as garantias necessárias para a liberação do empréstimo. Além disso, o grupo afirma que a dívida junto à Caixa está sendo renegociada com base em receitas futuras.

Na decisão da Justiça Federal gaúcha, a juíza responsável pelo caso aponta irregularidades no financiamento e alerta que o empréstimo de 400 milhões de reais foi liberado para um consórcio, o Arena Itaquera, que declarou na época ter capital social de apenas mil reais.

O Corinthians e todos os envolvidos no processo ainda podem recorrer da decisão publicada no dia cinco de fevereiro.

Da Redação: Rafa Nunes

 

Reportagem: Cristiano Carlos