Justiça: Juíza ordena prisão de Dirceu e petista deve se entregar à PF até às 17h desta sexta (18)

0
34330
Foto: Exame.abril

Uma ordem de prisão, assinada pela juíza federal de Curitiba Gabriela Hardt determinou na noite desta quinta (17) a prisão do ex-ministro José Dirceu. O petista já foi condenado na Operação Lava Jato a 30 anos e nove meses, por corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro. A decisão obriga Dirceu a se apresentar à Polícia Federal em Brasília até às cinco da tarde desta sexta-feira (18).

Dirceu teve o último recurso na segunda instância negado, de forma unânime, pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, também nesta quinta. Isso significa que se esgotaram as possibilidades da defesa de recorrer no tribunal. Com a decisão, a juíza substituta de Sergio Moro mandou executar a pena.

José Dirceu foi presidente do PT e chefiou a Casa Civil entre 2003 e 2005, durante o primeiro mandato do ex-presidente Lula. Deixou o cargo depois do escândalo de corrupção que ficou conhecido como “Mensalão do PT”. Em 2012, foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a sete anos e 11 meses de prisão por corrupção. Ficou quase um ano detido e deixou a cadeia em 2014 para cumprir prisão domiciliar.

Menos de um ano depois, voltou a ser preso, dessa vez na Lava Jato. O ex-ministro foi acusado de receber mais R$ 11 milhões de propina da empreiteira Engevix, uma das empresas que fez parte do esquema de corrupção da Petrobras. Em 2016, José Dirceu foi condenado pelo juiz Sergio Moro nesse inquérito a 20 anos e 10 meses de prisão. Mesmo com o perdão judicial do STF no Mensalão do PT, um dos homens de confiança de Lula continuou preso por conta da Lava Jato até maio do ano passado, quando a Segunda Turma do STF concedeu um habeas corpus. Atualmente, Dirceu cumpria pena em casa, com monitoramento por tornozeleira eletrônica.

Além de Dirceu, o ex-presidente da Petrobras e operador do PT Renato Duque, o ex-vice-presidente da Engevix Gerson Almada, o lobista Fernando Moura, o ex-sócio da JD Consultoria Julio Cesar Santos, além de Renato Marques e Luiz Eduardo de Oliveira Silva, também foram condenados na ação.

 

Da Redação: Rafa Nunes

 

Reportagem: Tácido Rodrigues / Paulo Henrique Gomes