O poeta, ficcionista e ensaísta Ruy Espinheira Filho (73) está vivendo um dos momentos de profunda criação e conforto intelectual. Nesta última quinta-feira (15) o mesmo lançou em Salvador – no Restaurante do Edinho – Ceasinha do Rio Vermelho, dois livros. As obras lançadas foras: O Príncipe das Nuvens  – Uma História de Amor  Ditada pelo Espírito do Poeta  C.A Maior – um romance e Milênios e Outros Poemas – poesia.

O autor explicou em entrevista que, assim como sugere o título, ele se inspirou no poeta Carlos Anísio Melhor – uma celebridade entre os poetas e aqueles que frequentavam a vida boêmia da capital nos anos 60. É mister que se entenda que o autor não projetou uma ensaio biográfico do poeta, mas extraiu a essência da vida que se desenvolve por trás de um poeta boêmio. Todas as vozes são gritadas diante do poeta! O estilo voraz, solto e metaliterário projetam o romance de Espinheira para uma literatura essencialmente pós-moderno.

A alma pós-modernista da obra fica ainda mais forte quando Espinheira nos conta que o prefácio do livro é na verdade uma carta do também poeta e romancista Carlos Barbosa, que, em 2007 leu o livro e lhe escreveu pontuando tudo o que absolveu no romance.

Já a obra poética – Milênios e Outros Poemas – traz uma evidência do momento extremamente criativo vivido por Espinheira durante o ano de 2015. Este é o livro de poemas de número 26 do autor que chama a atenção pelos belíssimos sonetos. A crítica recebe o livro poético com muita convicção de que a obra é madura, devido a experiência do autor em retratar seus “fantasmas” com uma maestria de quem compõe o poema com ferramentas profundas!