O regime da Coreia do Norte anunciou neste domingo (3, noite de sábado no Brasil) que desenvolveu uma bomba de hidrogênio que, diz, tem “grande poder destrutivo” e poderia ser colocada em mísseis intercontinentais. A declaração deverá ser um novo elemento de tensão do ditador Kim Jong-un com os Estados Unidos, mas analistas a veem como uma propaganda por considerarem que a ditadura não tem tecnologia suficiente para fazer a bomba.

A agência de notícias KCNA mostrou imagens de Kim inspecionando o que dizem ser o carregamento da bomba de hidrogênio em um míssil intercontinental e, em seu texto, afirma que todo o processo foi feito dentro do país.”O poder explosivo da bomba foi ajustado de dezenas para centenas de quilotons e pode ser detonada de grandes altitudes. Como seus componentes foram produzidos localmente, isso permite que o país possa fazer quantas armas nucleares quiser.

“Esta é a segunda vez que a Coreia do Norte diz ter bombas de hidrogênio. A primeira foi depois de seu quarto teste nuclear, em janeiro de 2016, quando o regime declarou ter usado uma ogiva desse tipo no exercício.