Operação Acrônimo: PF com foco em Minas Gerais e DF

0
2148

Na manhã desta sexta-feira (23) a Polícia Federal deflagrou mais um fase da operação acrônimo com foco voltado a Minas Gerais e Distrito Federal. Os mandados foram contra o Secretário-chefe da Casa Civil de Minas Gerais – Marco Antônio Teixeira. O mesmo é acusado de integrar o esquema de lavagem de dinheiro em campanhas eleitorais. Os operadores dos esquemas recebiam vantagens políticas e financeiras segundo a PF.

Os mandados deste operação deflagrada hoje ainda alcançaram outro funcionário do governo de Minas Gerais que não teve o nome divulgado. Também estão sendo alvos da PF diversas pessoas ligas às consultorias MOP e OPR em Minas Gerais.

Um diretor da empreiteira OAS também foi conduzido pela Polícia Federal, mas seu nome e dados de participação no esquema ainda não foram divulgados. O sócio da OAS Léo Pinheiro está preso por envolvimento nos esquemas investigados no âmbito da Operação Lava Jato.

Há oito dias a Polícia Federal desencadeou a última fase da Operação Acrônimo que antecipou a operação de hoje e conseguiu levantar informações necessárias para o desdobramento de hoje. As investigações apontam esquema de cooptação, ou seja, atrair ilicitamente pessoas através de vantagens para fraudes e esquema de corrupção que envolveram licitações no Ministério da Saúde, esquema de facilitação de financiamento junto ao BNDES para execução de obras em outros país.

Como de praxe a Polícia Federal deverá manifestar-se através de uma coletiva e nós do MN estaremos informando os detalhes da operação.