Neste domingo (09) uma manifestação na cidade de Prado, sul do estado, culminou com ataques ao prédio da prefeitura local que teve portas, janelas e alguns bens danificados. O protesto foi organizado por militantes da oposição e representantes de comunidades indígenas que pediam novas eleições.

Segundo os militantes que formavam o protesto, nas eleições do último domingo (02) que culminou com a vitória da candidata Mayra Brito (PP) ficaram diversas pessoas – maioria índios – de comunidades assoladas pelas chuvas, sem conseguirem votar. Estes faltosos representaram 26,46% dos votos sendo um total de 5.621 eleitores que deixaram de votar.

O município de Prado possui 21. 217 eleitores e a primeira colocada, Mayra Brito obteve 49,23% dos votos válidos somando 7.170 votos. O candidato segundo colocado foi Gilvan produções (PMDB) com 48.26% e um número de 7.029 votos válidos. O terceiro candidato Pastor Miro (PRB) obteve apenas 2.51% e um total de 366 votos.

O juiz responsável pela zona eleitoral de Prado, Leonardo Coelho, afirmou não haver possibilidade nenhuma de pedir novas eleições. Inclusive o mesmo afirmou em entrevista que esta porcentagem de 26,46% é a menor das últimas eleições.

Com a negativa da justiça os protestantes foram até o prédio da prefeitura e fizeram os ataques. Segundo a polícia local apenas um homem foi detido, mas o nome do mesmo não foi divulgado. Um Boletim de Ocorrência foi registrado pela PM que atendeu a ocorrência e representantes da prefeitura registraram queixa.