Após inúmeros relatos de explosões de baterias do Galaxy Note 7 e da ineficiência da empresa em conseguir retirar do mercado as unidades do produto a Samsung anuncia que irá realizar mudanças no funcionamento de carregamento dos aparelhos. Um software deverá ser desenvolvido para evitar que as respectivas baterias alcancem o nível máximo de carga. A solução denominada de controversa por alguns meios de comunicação especializadas em análises de aparelhos tecnológicos, sobretudo, Smartphones, deverá fazer com que após a atualização dos aparelhos os usuários não consigam carregar além de 60% da carga.

Especialistas ainda afirmam que a Samsung deixará de fabricar as baterias dos novos aparelhos, haja vista, que um suposto erro na fabricação das baterias pela Samsung SDI tem sido encontrada e que estas deixarão de ser fornecidas. A Samsung SDI fornece 70% das baterias sendo que os outros 30% são frutos da fabricante Amperex Technology Limited (ATL) e até o momento não apresentou nenhum problema sequer.

A busca pela solução rápida poderá fazer com que a Samsung evite gastos gigantescos, mas não evitará que se gaste em torno de U$$ 1 bilhão apenas com o processo de recall. Em aproximadamente dois trimestres o problema deverá estar solucionado é o que estima a gigante, mas esta é mais uma incerteza. Os transtornos com o Galaxy Note 7 foram tão sérios que a companhia aérea Norte Americana recomendou evitar viajar com o Galaxy Note 7 ligados durante voou. No Brasil a recomendação foi seguida à risca pelos usuários que persistem utilizando o aparelho. Ao todo mais de 2,5 milhões de telefones Galaxy Note 7 foram vendidos em todo o mundo e os prejuízos à empresa tem sido cada vez maior.

Não existem informações sobre este lote defeituoso no Brasil e nem casos especificados no Procon, mas muitos usuários estão queixando-se de prejuízos por perderem a confiança na utilização do respectivo aparelho. A empresa no país ainda não se manifestou a respeito do recall e direitos dos consumidores. O respectivo software de atualização deverá estar disponível em breve, mas a data específica a sul-coreana ainda não informou aos usuários.

Diversos boatos surgiram afirmando que a Samsung aniquilaria os aparelhos Galaxy Note 7 que não atendessem ao recall, todavia, a empresa afirma que esta é uma informação falaciosa.